Amsop e Justiça Eleitoral se mobilizam para evitar fechamento de zonas eleitorais
Publicado em 29/05/2017

Da assessoria

A extinção de zonas eleitorais determinada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) está preocupando prefeitos e membros da Justiça Eleitoral da região. A Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná) irá acompanhar uma comitiva com prefeitos, vereadores e juízes eleitorais do Sudoeste em audiência com o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, nesta segunda-feira (29).

O encontro pretende apresentar a necessidade de manutenção das zonas eleitorais, já que o critério adotado pelo TSE, que considera a densidade demográfica, tende a afetar eleitores da região.

“O sistema eleitoral brasileiro está passando por um processo de modernização com o cadastramento biométrico e há uma série de procedimentos que precisam ser feitos nos fóruns e cartórios eleitorais tanto por parte de eleitores quanto por candidatos; reduzir o número de zonas eleitorais vai prejudicar toda a população destes municípios, que terão que deslocar pra outras cidades”, argumenta o presidente da Amsop, Frank Schiavini.

No Sudoeste devem ser extintas as zonas eleitorais de Coronel Vivida, Chopinzinho, São João, Mangueirinha, Santo Antônio do Sudoeste, Capanema, Salto do Lontra e Clevelândia, além de Marmeleiro. Nestes municípios, as ZEs serão incorporadas em outras cidades, de acordo com o número de habitantes e eleitores. 

Na semana passada, a Associação dos Municípios do Paraná (AMP), da qual Schiavini é o vice presidente, enviou ofício ao ministro Gilmar Mendes pedido a revisão da determinação que extingue as zonas.



Postado por: Celso Carnelutt
Fotos: Ilustrativa